Segunda-feira, 22 de Maio de 2006

Eu não estive lá nos 90!

 

Os anos 90 foram uma época importante para a redefinição da cena dos clubes nocturnos e discotecas em Portugal. Começaram a surgir como cogumelos em cada esquina do litoral, interior e beiras. Institui-se a ideia que os jovens, que já descansavam a semana toda às expensas dos pais, tinham o direito a “curtir” duas noites por semana, bem regadas com álcool, muita dança e tentativas de engate pelo meio.
A música que serviu de banda sonora a esta fenómeno, foi o house, na sua vertente mais comercial. Hoje vou dar a conhecer cinco temas, que invariavelmente arrastavam a populaça para as pistas de dança, conhecidos no meio como “floor fillers”. House music comercial, que poderá não ser do agrado de todos, mas faz com certeza parte das memórias de muitos. Para quem não esteve lá nos 90, fica aqui levantada a ponta do véu.
 
 
 
 
        
Technotronic
Pum Up The The Jam
 [1989]
 
       
 Tecnicamente esta não é de 90. No entanto, por ter sido editada no final de 80, e tendo em conta o tempo, que Portugal normalmente demorava a assimilar as correntes musicais da época, penso que é justo considerar este como o primeiro grande single de dança dos anos 90. Os Technotronic foram revolucionários no tratamento do House, conseguindo com isso criar um tema, que se tornou num hino, para alguns do mau gosto, para outros da cultura da noite que se começava a assumir.
Não me recordo da reacção da pista a este tema, pois era ainda demasiado miúdo para andar na má vida, quando ele “arrebentou” por cá, mas não desconfio por um segundo da sua capacidade para por o pessoal a bater o pé. Todos os trintões se devem recordar desta.
 
 
 
 
 
        
Delacy
Hideaway
[1996]
        
         
 
Este tema, apesar de provavelmente não o saberem nomear, tenho a certeza que faz parte do imaginário das noites de 90 de muita gente. A batida tribal, já elevava a coisa para outro patamar mais profundo, conotado com o Deep House. Algumas miúdas (e miúdos pronto, mas eu não) entrevam literalmente em transe, enquanto Delacy destilava palavras conotadas com a libertação da mulher, apelando à sua independência e afirmação na sociedade. Era nestas alturas, que elas, contraditoriamente, mais caíam no conto do vigário, e lá se deixavam levar pela lábia de quem as andava por lá a cobiçar.
 
 
 
 
    
The Bucketheads
The Bomb
 [1996]
 
      
 
 Kenny Dope Gonzalez, um dos membros do popular duo Masters At Work, formou em 96, um projecto de estúdio intitulado de The Bucketheads, com o intuído de perseguir o seu fascínio pelo Disco, House, Hip Hop, Freestyle e música latina. Pelo meio deixaram um tema, The Bomb, que denunciou de uma vez por todas as raízes do House no Disco Sound.
 
 
 
 
     
Ann Nesby
Can I Get A Witness
[1996]
 
 
 
Vinda directamente do House Norte Americano, Ann Nesby incendiou literalmente as pistas de dança em 1996, com o seu Can I Get A Witness. Um tema, que instrumentalmente não deslumbra, mas que ganha muito com a voz de Nesby, que em registo Gospel/Blues, uma tendência marcante do House dos EUA, fez com que esta música figura-se em muitas compilações de House do ano.
Na pista, acho que era acima de tudo uma faixa muito respeitada. Facto talvez explicável pelo fantasma religioso que emanava da postura e discurso gospel da senhora Ann Nesby. Digamos que era um momento espiritual.
  




Stardust
Music Sounds Better With You
 [1998]
     

Penso que esta dispensa apresentações. Velhos e jovens, avós e netos, Católicos e Muçulmanos todos se recordam desta. Se não se recordam, então é porque são da geração Morangos com Açúcar e não deviam estar aqui a ler este blog. Saiam se faz favor.
Thomas Bangalter, um dos membros dos Daft Punk, juntou-se no estúdio com Alan Braxe e puseram Benjamin Diamond a cantar as palavras que marcarão para sempre o meu imaginário daquelas noites de dança dos 90. Music Sounds Better With You, era tiro e queda. Podia até estar a decorrer a maior zaragata dentro da discoteca, podiam estar a dar rebuçados e TGV’s no bar, mal este vinil começava a estalar era a invasão da pista. Foi um dos últimos grandes “floor fillers” da década e para mim tema do House comercial por excelência.




Meus amigos, já sabem como escutar os temas, basta lançar o leitor em pop up.
Espero que não considerem este post muito saudosista, ao género do “Óh Tempo Volta Para Trás”. Há coisas que devem ser recordadas. Até à próxima.
 
 
publicado por astropastor às 00:48
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De kimikkal a 22 de Maio de 2006 às 22:15
Oh pá...até me vieram as lágrimas aos olhos (tb pode ter sido do picante da mostarda).

Estou a ver daqui a 10 anos a haver revivalismo dos 90's...Nunca mais chega!

:P


De astropastor a 22 de Maio de 2006 às 22:39
Tu brincas :). Mas se calhar vieram mesmo as lagrimas ao olhos.


De perplex3r a 8 de Março de 2007 às 19:32
lol que giro...é vdd..o revivalismo 90s já está a surgir na Europa...na Holanda e Inglaterra existem festas dedicadas aos anos 90 com artistas live a actuar...será que cá vamos ter a mesma coisa?


De astropastor a 10 de Março de 2007 às 16:28
Não faço a mínima ideia, mas como costumamos copiar tudo é natural. Se bem que se começou na Holanda, não me parece que se venha a tornar hype. Nós é mais Londres ou NY :)


Comentar post

..about

música, cinema, publicidade, comunicação, moda, design, política, sociedade...


Create Your Badge

.mix tape

.tags

. todas as tags

.links

++++

.arquivos

.subscrever feeds